AÇAFRÃO-VERDADEIRO

Crocus sativus
Nome científico
<i>Crocus sativus</i> L.
Família
Iridaceae.
Outros nomes populares
açaflor, açafrão, açafreiro, açafroeiro, saffron (inglês), azafrán (espanhol), safran des Indes (francês), zafferano (italiano), echter safran (alemão), safuran (japonês), zaÂ’faran (árabe), fan hun g hua (chinês), saffraan (holandês), zaforá (grego), safran (norueguês), szafran uprawny (polonês), safran (romeno), shafran (russo), sáfrány (húngaro), kunyit kerin g (malaio), kunyit kerin g (indonésio), nghe (vietnamita), jafran (bengali), safrano (esperanto).
Constituintes químicos
Aldeídos terpenos (safranal, 2,2,4-trimetil-ciclohexa-1,3-dieno-carbaldeído, pineno e cineol), picrocrocina, carotenóides, crocetina, gentobiose, alfa e o beta-caroteno, licopina, zeaxanteno e mucilagem.
Propriedades medicinais
antiofídico, digestivo, emenagoga, espasmódica, laxante.
Indicações
histeria, inflamação, regular processos sanguíneos, tireóide, problemas digestivos, prisão de ventre, veneno de cobra, hipocondria, melancolia, asma, bronquite, coqueluche, gastralgia, dismenorréia e doenças urinárias.
Parte utilizada
Estigmas secos.
Contra-indicações/cuidados
Não usar na gravidez. O consumo em doses elevadas causa sonolência, embriaguez e delírios. Atenção: o açafrão é uma planta venenosa, por isso não recomendamos usá-lo em preparados caseiros. Dê preferência aos medicamentos feitos em laboratório. Em alta dosagem é tóxico, abortivo, causa hemorragias, vômitos, diarréias e vertigens. Alguns gramas de açafrão de boa qualidade é letal.
Modo de usar
<br>- Usado em molhos, sopas, saladas, arroz, cozidos com frango e legumes;<br>- preparação de tinturas, extratos, loções oculares e colírios, mas sobretudo em pílulas abortivas.<br>- infusão ou decocção a 1 %: dose máxima diária 200 ml;<br>- extrato fluido: dose máxima diária 40 gotas.
Algumas espécies dos gêneros

ACÁCIA-FALSA

Robinia pseudoacacia
Nome científico
Acacia horrida (L.) Willd.
Família
Fabaceae.
Outros nomes populares
acácia, acácia-pára-sol, black locust (inglês), falsa acácia (italiano), robinie (alemão).
Constituintes químicos
1-asparagina, acacetina, açúcares, alcalóides, álcool benzóico, alfa e beta-terpineol, amigdalina, aminoácidos (arginina, ácido glutâmico, asparagina), apigenina, benzaldeído, beta-sitosterol, cálcio, canavanina, carotenos, farnesol, fibras, flavonóides (dihidrorobinetina, robinina, robinitina, robtina, liquiritigenina, robteína, fustina, butina, buteína e fisetina), fósforo, gorduras, heliotropina, indolina, kaempferol, linalol, metil-antranilato, nerol, siringina, tanino, proteínas, urease.
Propriedades medicinais
adstringente, colagogo, diurética, emético, emoliente, laxante, sedativa, tônica.
Indicações
flores: espasmos e dispepsia. Folhas: problemas digestivos.
Parte utilizada
folhas, flores.
Contra-indicações/cuidados
TÓXICA. Deve ser usada com cuidado e nas doses recomendadas pelos médicos e especialistas. As folhas e as raízes são são tóxicas (robinina e derivados).
Modo de usar
Algumas espécies dos gêneros

ACÁCIA

Acacia horrida
Nome científico
Acacia horrida (L.) Willd.
Família
Fabaceae.
Outros nomes populares
carambuco africano, acacia búfalo de África, acacia espinosa, mimosa naranja, aromo de Africa, espina dulce, acácia (francês, italiano), acacia (inglês, espanhol), acacia blanca, espinillo.
Constituintes químicos
Propriedades medicinais
Indicações
febres, diarréias, dores viscerais, queimaduras, inflamações da boca e da garganta, nefrites dos cães.
Parte utilizada
folhas, flores, sementes.
Contra-indicações/cuidados
Modo de usar
<br>- decocção: ferver 25 gramas de flores secas em 250 ml de água, por 15 minutos. Corrigir o sabor com algumas gotas da essência da laranja e adoçar com mel. Beber a decocção quente, duas vezes ao dia: febre.<br>- infusão de 25 gramas de flores secas em 100 gramas de água quente, adoçada com mel. Filtrar, após 10 minutos, e beber em seguida. Várias vezes ao dia. Intestinos: diarréia e dores viscerais.<br>- infusão de 60 g de folhas secas e de casca em meio litro de água fervente. Deixar amornar o líquido e, então, filtrá-lo. Empregá-lo para um clister.<br>- cataplasma da infusão acima para queimadura, misturar uma pitada de goma-arábica em pó e uma clara. Em queimaduras pequenas impede a formação de bolhas.
Algumas espécies dos gêneros

ABUTUA-VERDADEIRA

ABUTUA-VERDADEIRA
Chondrodendron platiphyllum
Nome científico
Chondrodendron platiphyllum (A. St.-Hil.) Miers.
Família
Menispermaceae.
Outros nomes populares
butua, abutua, raiz-de-parreira-brava, uva-do-mato, jabuticaba-de-cipó.
Constituintes químicos
alcalóides (o principal a pelosina – veneno).
Propriedades medicinais
antiblenorrágico, antidispéptico, aperiente, diurética, emenagogo, febrífugo, tônica.
Indicações
ácido úrico, afecções renais, anemia clorose, artritismo, azia, blenorragia, cálculos renais, cólicas renais, cólicas e congestões do fígado, cólicas uterinas, dispepsia atônica, dores de cabeças, enteralgias, febres intermitentes, flatulências, gastralgias, hidropisia, inflamação na bexiga, má digestão, moléstias hepáticas, menstruação difícil, orquites, peso no estomago após as refeições, úlceras varicosas, renais e uterinas, varizes.
Parte utilizada
raiz, caule.
Contra-indicações/cuidados
pode produzir aborto, se a dose for excessiva. É um medicamento tóxico, de uso perigoso. Recomenda-se dar preferência a tintura preparada em laboratórios.
Modo de usar
<br>- infusão ou decocção a 2 %: dose máxima diária 200 ml;<br>- extrato fluido: dose máxima diária 5 ml.
Algumas espécies dos gêneros

ABUTA

ABUTA
Abuta grandifolia
Nome científico
Abuta grandifolia (Mart.) Sandwith.
Família
Menispermaceae.
Outros nomes populares
abutua-verdadeira, buta, caapeba (não confundir com a verdadeira), panibaga, parreira-brava-da-praia, parreira-branca, orelha-de-onça, abuta preta, uva-do-mato, abutua-do-Amazonas, baga-da-praia, uva-do-rio-apa, jaboticaba-de-cipó; barbasco, imchich masha, butua, gasing-gasing.
Constituintes químicos
amido, abutina, metilamina, dimetilamina, pirrol, pelosina; alcalóides, ácido araquídeo, beberina, berberina, bulbocapnine, cissamine, cissampareine, corytuberine, curine, 4-methylcurine, cyclanoline, cycleanine, dicentrine, dehydrodicentrine, dimethyltetrandrinium, óleo essencial, grandirubrine, hayatine, hayatinine, insularine, isochondodendrine, isomerubrine, laudanosine, ácido linoléico, magnoflorine, menismine, norimeluteine, nem-ruffscine, nuciferine, pareirine, alcalóide pareirubrine, pareitropone, quercitol, ácido esteárico, tetrandrine.
Propriedades medicinais
analgésico, antibacterial, anticonvulsivo, antiinflamatório, antileucêmico, antimalária, anti-séptico, antiespasmódico, anti-tumor, aperiente, carminativa, citotóxico, diurético, emenagogo, expectorante, febrífugo, hepatoprotetor, hipotensor, insetícvaro, piscicidal, purgativo, estimulante, estomático, tônico.
Indicações
<br>- Decocção da casca, uso externo: inflamação dos olhos e analgésico dental, contusões; reumatismo; orquites crônicas;<br>- Decocção da raiz, uso interno: cólicas menstruais, contraceptiva e na gestação atrasada, febres intermitentes, cálculos renais, diurética. Cólicas que podem aparecer durante o sobreparto, menstruação difícil e supressão dos lóquios. Eficaz contra as más digestões, acompanhadas de dores de cabeça, prisão de ventre e tonturas. Sono após as refeições. Hidropisias e nos corrimentos blenorrágicos.<br>- Infusão das folhas: diurético, carminativo, digestão difícil, menstruações difíceis, cólicas uterinas, reumatismo, fígado;<br>- Raiz e casca do tronco, por decocção: tônica e afrodisíaca.
Parte utilizada
casca, raiz, folhas.
Contra-indicações/cuidados
dose acima da indicada.<br>A pelosina reduz os batimentos cardíacos, podendo levar à morte, hoje é sucedâneo do quinina. Em dose elevada pode provocar aborto.
Modo de usar
Decocção da casca para uso externo;<br>- Decocção da raiz para cataplasmas e usos internos.<br>- Infusão das folhas, uso interno.<br>- Decocção de 10 a 15 g de raiz e cascas do tronco em litro de água. Beber quatro ou cinco xícaras ao dia.<br>- Infusão das folhas: diurético, carminativo, digestão difícil, menstruações difíceis, cólicas uterinas, reumatismo, fígado. Raiz e casca do tronco, por decocção: tônica e afrodisíaca.
Algumas espécies dos gêneros

ABRUNHEIRO

ABRUNHEIRO
Prunus spinosa
Nome científico
Artemisia abrotanum L.
Família
Rosaceae.
Outros nomes populares
abrunheiro-bravo, pruneira, abrunheiro, schwarze schlehe (alemão), abruñero (espanhol), prunellier (francês), wildplum (inglês), prugnolo (italiano).
Constituintes químicos
<br>Flores: glicosídeos, taninos, açúcar, pigmentos e vitamina C.<br>Frutos: taninos, ácidos orgânicos.
Propriedades medicinais
adstringente, diurético, laxativo suave.
Indicações
bexiga, perturbação digestiva, vias urinárias, diabetes, hidropisia, obesidade, menopausa, algumas enfermidades da pele.
Parte utilizada
frutos bem maduros, flores secas.
Contra-indicações/cuidados
não utilizar as cascas do tronco, dos ramos e da raiz porque contém ácido prússico, que pode provocar envenenamento e intoxicação.
Modo de usar
<br>- infusão ou decocção a 10%: dose máxima diária: 200 ml;<br>- extrato fluido: dose máxima diária: 25 ml;<br>- infusão de duas colheres de café de flores secas em uma chávena de água. Tomar uma a duas vezes por dia: diurética, laxante leve;<br>- frutos bem maduros e secos: afecções da bexiga e das vias urinárias e perturbações digestivas; <br>- frutos frescos: fabricar sumos, xaropes e vinho;<br>- tisana das flores: diabetes, hidropisia, obesidade, menopausa, algumas enfermidades da pele.
Algumas espécies dos gêneros

ABRÓTANO

Artemisia abrotanum
Nome científico
Artemisia abrotanum L.
Família
Asteraceae.
Outros nomes populares
aurônia, losna.
Constituintes químicos
alcalóide (abrotina), óleo essencial abundante, substâncias amargas.
Propriedades medicinais
anti-helmíntica, carminativa, diurética, estimulante, tônica.
Indicações
ascite, asma, dispnéia, enfermidades nervosas, estomatite, frieira, processos exsudativos, tuberculose do peritônio e do mesentério.
Parte utilizada
folhas.
Contra-indicações/cuidados
não encontrados na literatura consultada.
Modo de usar
<br>- infusão de uma pitada de folhas secas de abrótano em uma xícara de água fervente, sem açúcar. Deixar amornar e fazer vários bochechos durante o dia: estomatite;<br>- infusão de três colheres de folhas secas em 150 ml de água fervente. Deixar repousar e coar. Fazer massagens no couro cabeludo, com as pontas dos dedos, três ou quatros vezes por semana: loção capilar;<br>- infusão de doze colheres de folhas secas em 300 ml de água fervente. Adicionar à água do banho;<br>- infusão de 1 g de folhas secas em uma xícara de água fervente e adoçada. Tomar duas ou três xícaras ao dia: menstruação difícil e dolorosa;<br>- infusão de duas colheres das de café de folhas secas em 57 ml de água fervente. Deixar amornar e coar. Beber morno: uso geral.
Algumas espécies dos gêneros

ABÓBORA

Cucurbita moschata
Nome científico
<i>Cucurbita moschata</i> Duschene.
Família
Cucurbitaceae.
Outros nomes populares
abobreira.
Constituintes químicos
Propriedades medicinais
adstringente.
Indicações
Parte utilizada
Contra-indicações/cuidados
Não encontrados na literatura consultada.
Modo de usar
Algumas espécies dos gêneros

ABIU

ABIU
Pouteria caimito
Nome científico
Chrysobalanus icaco L.
Família
Sapotaceae.
Outros nomes populares
abieiro, abi (agulha), abiiba, abio, abiu-grande, abiurana, caimito, caimito abiurana, guta, cauje, temare, caimo, madura verde, luma (francês), pomme-étoilée amazonienne, canistel, yellow star apple, eg g fruit e golden fruit tree (inglês).
Constituintes químicos
glucose; ácidos orgânicos, matéria fibrosa, lucumina (alcalóide), tanino, proteínas, lipídios, glicerídeos, cálcio, fósforo, ferro, vitamina B, vitamina B2, ácido ascórbico (vitamina C).
Propriedades medicinais
adstrigente, amarga, antianêmica, antidisentérica, antiinflamatória, antitérmica, antitussígena, antiverrugosa, desinfetante, emoliente, febrífugo, nutriente, purgativa, tônico, vermífuga.
Indicações
afecção pulmonar, anemia, diarréia, disenteria, dor de ouvido, febre, inflamação, malária, otite, sapinho da boca de criança, terçol.
Parte utilizada
polpa do fruto, casca externa, raiz, pulverizada, folhas, látex, sementes (óleo).
Contra-indicações/cuidados
não encontrados na literatura consultada.
Modo de usar
decocção e infusão.<br>- para terçol usar 1 a 2 gotas do chá em cada olho.<br>- para otites e otalgia usar compressas mornas do chá.<br>- os frutos são usados "in natura", quando bem maduros e na fabricação de sorvetes, doces, refrescos e geléias. Queda de cabelos e na alimentação de pessoas desnutridas, anêmicas, aliviar tosses, bronquites e afecções pulmonares;<br>- decocção da casca: disenteria e febre.<br>- látex do fruto: combater vermes, prisão de ventre, abscessos uso externo), herpes, verrugas.<br>- óleo das sementes: inflamações em geral, principalmente da pele e otites (inflamação no ouvido).
Algumas espécies dos gêneros

ABAJERÚ

Chrysobalanus icaco
Nome científico
Chrysobalanus icaco L.
Família
Chrysobalanaceae.
Outros nomes populares
bajerú, guajerú, abajero, ajuru, ajuru-branco, ariu, cajuru, goajuru, guajiru, guajuru, oajuru.
Constituintes químicos
ácido pomólico.<br>Nota: este ácido induz a apoptose, morte celular programada, nas células cancerosas, porém não é extraído da planta através de chá. O chá pode até ser prejudicial aos portadores de câncer.
Propriedades medicinais
hipoglicemiante (diabetes tipo II), antiblenorrágico, antidiabético, anti-reumático.
Indicações
blenorragia crônica, diabete tipo 2, diarréia crônicas, leucorréia, reumatismo.
Parte utilizada
folhas.
Contra-indicações/cuidados
não encontrados na literatura encontrada.
Modo de usar
infusão das folhas.
Algumas espécies dos gêneros