ASPARGO

ASPARGO
Asparagus officinalis
Nome científico
Asparagus officinalis L.
Família
Liliaceae.
Outros nomes populares
espargo, melindre, aspargo-hortense; spargel (alemão); esparraguera (espanhol); asperge (francês); asparagus (inglês); asparago (italiano).
Constituintes químicos
<br>- raiz: óleo volátil, asaron (cânfora de asarum C20H26O5), asarit, asarin (asarone, pinene e eugenol-metil-éter), resina, amido, glúten, albumina, vários sais, etc.;<br>- folhas: asarin, ácido tânico, ácido cítrico, clorofila.<br><br>Nota: asarum e asarit, têm a mesma composição química, diferindo nas propriedades físicas.
Propriedades medicinais
adstringente, antiinflamatória, diurética, estimulante, laxante, remineralizante, sedativa.
Indicações
acalmar palpitações, acne, afecções do coração, asma, baço, cicatrizar pequenos ferimentos, distúrbio cardíaco, estimular o crescimento dos cabelos, estômago, evitar vômito, fígado, hidropsia, hipertrofia do coração, icterícia, inchaços do fígado e do baço, mau funcionamento dos rins, obstruções das vísceras abdominais, palpitações.
Parte utilizada
sementes, raízes, brotos.
Contra-indicações/cuidados
não empregado quando de inflamação das vias urinárias, pois irrita as membranas da mucosa; deve ser evitado por pessoas que sofrem de blenorragia, de afecções das vias urinárias, exceto em casos de cálculos urinários, gota, litíase e reumatismo; pessoas com histeria, pois pode causar agitação e insônia; não ingerir os frutos pois contém grande concentração de saponinas tóxicas.<br>Pode precipitar uma crise de gota; as brotações, se comidas cruas, podem desencadear reações alérgicas em pessoas sensíveis.
Modo de usar
<br>- raiz: obstruções das vísceras abdominais, mau funcionamento dos rins e icterícia;<br>- sementes: inchaços do fígado e do baço e para evitar vômito;<br>- decocção das raízes: diuréticas e sedativas, doenças do fígado, do baço e do estômago, hidropisias, distúrbios cardíacos, hipertrofia do coração, acalmar palpitações;<br>- extrato: 1 a 4 g por dia: diurético;<br>- xarope: moer uma porção de pontas de aspargo frescas e decantar o sumo, filtrar em papel adequado. Adicionar um quilo e meio de açúcar para cada quilo de sumo, deixar cozinhar em banho-maria até adquirir a consistência de xarope. Conservar em garrafas hermeticamente fechadas, tomando 5 colheres, das de sopa, pela manhã e à noite: diurético;<br>- decocção de 50 g de raízes de aspargo em um litro de água, deixar em repouso até esfriar. Tomar três cálices por dia, entre as refeições principais, sem adoçar: doenças do coração;<br>- decocção de 40 g de raízes de aspargo em três quartos de litro de água. Beber pela manhã, em jejum, e durante todo o dia: hidropisia, obesidade, pessoas nervosas e excitáveis, diurético, sedativo; afecções do fígado, estômago e rins; palpitações cardíacas.
Algumas espécies dos gêneros

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *